terça-feira, 17 de agosto de 2010

A HISTÓRIA E EU!



Quando criança, a professora Marlene, me apresentou a matéria de "história". No começo do entrosamento entre a matéria e eu, confesso que fiquei acanhada, não conseguia entender o que ela queria me dizer, era muita informação, para alguém tão inexperiente como eu, falava de regiões, etnia, países, credo, política, costumes culturais, ortografia diferente da nossa, me deixava confusa, e sempre me perguntava como uma única matéria poderia abordar tantas informações distintas de uma única vez!
Minha professora muito dedicada, paciente e muito carinhosa com todos os alunos, não se cansava em explicar quantas vezes fossem necessárias, sempre modificando a metodologia de ensino, até que percebesse que todos tinham compreendido o significado da matéria, o que o tema abordado esclarecia.
Não me esqueço, o que ambas me ensinaram, me mostraram um aporta, por onde eu passava junto com elas duas vezes por semana, ao cruzar a porta da história, o que era encontrado do outro lado, me deixava maravilhada, era sempre um novo mundo, um novo conhecimento, pessoas diferentes, costumes diversificados, em épocas totalmente fora da minha realidade, começava a entender que a maioria dos acontecimentos de outra época,sempre interferiram em nossa realidade.
Dona Marlene era apaixonada pela matéria de história, falava dela com muito carinho e entusiasmo, me deixando cada vez mais apaixonada por esse matéria, também pudera, através da história podemos ir a qualquer lugar desejável, viver situações imagináveis, através do faz de conta, experiências que nunca imaginei ser possível, mesmo quando o fato já havia se realizado, bem antes de meu nascimento.
Percebi que, além das outras matérias e educadoras que na época me ensinavam, dona Marlene e nossa amiga "história", passaram a fazer parte de minha vida com tanto furor, que até mesmo hoje, há mais de 20 anos, a saudade é grande, essa matéria ainda contribui na minha caminhada, contribuindo hoje na minha escrita, quando conto minha infância, experiência escolar, minha adolescência, ou seja, ela entrou em minha vida para nunca mais sair, através dela, estou contando uma experiência vivenciada por mim, conto minha história!
Em alguns momentos, cheguei a me questionar, o porquê fiquei encantada por essa matéria, chegando sempre a mesma conclusão, que o amor e a paixão que envolvia a dona Marlene, ao transmitir seus conhecimentos, era realizado, com tanto esmero, que o carinho  por essa matéria, acabou ficando impreguinado em meu coração também.
Hoje sei que o educador quando ama o que faz, tem paixão em transferir seus conhecimentos aos seus alunos, ele com certeza esta plantando uma sementinha dentro do coração de seus alunos, se bem cultivado pelo jardineiro, certamente florescerá, assim ocorreu comigo e outros alunos.
Assim dona Marlene, amada e querida professora, foi a minha jardineira, plantando semente do saber  e o amor pela matéria dentro do meu coração, e até hoje, às vezes nos encontramos por acaso, e ela ainda sempre tem um tempo para ouvir minha história, continua participando de forma carinhosa na minha história de vida.
Pretendo um dia ser uma educadora como dona Marlene, que eu consiga transmitir o amor pela educação aos meus futuros alunos, desejo ser uma jardineira, para plantar muitas sementes, que terei o maior carinho em cuidar, assim como fui cuidada, para que meus alunos floresçam assim como floresci para querida dona Marlene.
Desejo que todos os educadores amem sua profissão, pois, o mundo esta necessitado de muito mais flores, até que ele se torne um imenso jardim!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Vida!


A vida é tão preciosa, uma caixinha de surpresas, que sempre nos presenteia com uma emoção, um sentimento, seja ela, de alegria, ou, de dor, tanto por uma perda ou por afastamento.
É um turbilhão de emoções, que diariamente nos permite ter ótimos sentimentos, muitas vezes nos serve como um incentivo, até mesmo a dor, é importante para nossa existência, uma vez que ela nos faz refletir sobre nossos atos e a dos que nos cercam, permite que evoluímos.
Não podemos deixar de lado as emoções que a vida nos proporciona, nunca perca uma oportunidade de dizer há alguém o quanto você a ama, ou gosta dela, o quanto ela te faz feliz, o quanto é sua amiga(o), procure relembrar momentos felizes com as pessoas que você ama, se sentir vontade de abraçar, abrace, se sentir vontade de chorar, chore, se sentir vontade de gritar seu amor, grite, cante, dance, pule, VIVA!
Relembrar é viver pela segunda, terceira, quarta . . . quinta vez a mesma emoção, o mesmo sentimento, renovando nossas esperanças de um dia melhor, de uma nova conquista, de fortalecermos.
Você já experimentou pegar um dia para refletir sobre suas atitudes? Sobre suas ações? Sobre seus sentimentos? Já parou para recordar de um amigo que já não pode mais ver? Sobre uma palavra dita e como conseqênciaperdeu uma amizade?Já refletiu sobre essa amizade?
É complicado quando percebemos que perdemos muito tempo com mágoa, com raiva, até mesmo com o corre-corre do dia-dia, é tanta preocupação, que perdemos muito da vida . . . perdemos . . . pessoas.
Não perca os momentos em família, uma reunião com os amigos, pois ambos são nossas famílias, uma recebida com um presente de Deus marcada pelos laços sanguíneos, a outra um presente da vida, permitindo a escolha das pessoas que queremos perto de nós, marcada simplismente pelo amor, pelo carinho, passe a dividir com elas o que há de melhor em você, distribua sorrisos, pois, o sorriso cura, alegra, conforta e é muito gratificante sabermos o quanto um sorriso ajudou alguém!
Aproveite muito bem a caixinha de surpresas que Deus nos dá todos os dias!
Faça da sua vida e dos que te cercam, uma vida cada vez melhor, repleta de amor e muito carinho, aproveite e surpreenda os entes amados!